sexta-feira, abril 27, 2012

Ciúmes

Estamos habituados, socialmente, a pensar nos ciúmes como algo mau. É um sentimento que destrói a partir do interior e que acaba sempre por afectar as nossas atitudes. No fundo, o ciúme em si, apesar de mau, não é a pior parte. É que ele nunca vem só, geralmente traz amigos como controlo, desconfiança, entre outros. Tudo gente boa, como sabemos.

Esta é apenas uma das faces da moeda. Sempre ouvi dizer que um bocadinho de ciúme é natural e recomenda-se, porque significa que não tomamos as pessoas como garantidas, mostra que temos medo de as perder e isso faz com que nos esforcemos mais.

E, depois, há as situações especiais...aquelas que por vezes nos tiram o sono...em que ficamos a remoer no que estamos a sentir, no absurdo de sentir tais coisas. Nessas alturas, apercebemo-nos que talvez o que sentiamos por determinada pessoa, não era assim tão linear como o pintavamos. Preocupamo-nos mais do que achavamos, gostamos mais do que queriamos, talvez. Aí, o ciúme funciona como abre-olhos: limita-se a mostrar aquilo que não queriamos ver e que nos esforçámos por ignorar.

O que fazemos com esse conhecimento...aí já diz respeito apenas a quem sente ;)

(E sim, senti ciúmes recentemente e fiquei um bocado perturbada... Não estou habituada a sentir ciúmes e o significado disso deixou-me preocupada...)

2 comentários:

Jedi Master Atomic disse...

Não te prepocupes. Se sentires isso duma forma que te faça olhar para as coisas duma forma positiva, então não é mau.

Corina de Oliveira disse...

Já falamos sobre isto e não te sintas perturbada :)