segunda-feira, dezembro 14, 2009

Marcas

Quando digo que gostei do tempo que passei no hospital de Santo André, das duas uma: ou se admiram porque fui bem atendida, ou se admiram por ter gostado de ter estado internada.
A verdade está nas duas afirmações: fui bem atendida e gostei de estar internada.
Nas urgências, o médico que me atendeu foi muito atencioso e todos os técnicos e enfermeiros foram simpáticos. Já no quarto, todos os enfermeiros foram super simpáticos comigo, profissionais, mas sempre com um sorriso e uma palavra amiga e confortante. Bem...todas as regras têm uma excepção, mas uma única pessoa não consegue estragar a boa imagem que guardei dessa semana.
Tendo sido tão acarinhada, é normal que me tenha sentido bem ali. Ajudou o facto de na altura estar stressada por causa do curso. Fiquei sem parte das férias, mas descansei. Fui obrigada a isso.
Fiz uma amiga. Ajudámos algumas pessoas a descontrair antes de operações. Libertámos as línguas mais presas, não numa questão de coscuvilhice, mas para conforto das próprias pessoas.
Mesmo depois de ter tido alta, voltei ao hospital. Fui visitar a minha amiga, levar-lhe um miminho. E ver os sorrisos de orelha a orelha com que as pessoas me brindavam.

Há alguns meses, veio uma rapariga ao salão da minha mãe. Uma das primeiras coisas que disse foi: "Esta menina esteve internada em Urologia, não foi? Na cama 18!". Nem eu me lembrava, já, qual era o nº da cama...mas ela sim. Não era enfermeira, era uma das auxiliares, mas lembrava-se de mim. E isto deixa-me contente, porque me mostrou que não foram só as pessoas do hospital que me marcaram, eu também as marquei.

Hoje, tenho saudades e cada vez mais vontade de partilhar aquele espaço de trabalho. Um dia, se continuar a ser Educadora de profissão, espero vir a trabalhar num hospital.

1 comentário:

Corina de Oliveira disse...

Claro k sim e se tivesse la eu, eras levada pelas palminhas das mãos :p
Ainda bem que guardas algo positivo do teu internamento.

A afilhada do Gui faz ballet desde os 2 anos (tem agora 20/21) por isso imagina tb o bixinho dela...
E aquilo era mesmo bailado profissional... se soubesse que tu gostavas tanto, tinha-te convidado :)