terça-feira, setembro 08, 2009

Não quero ser eu neste momento.

Quero sair de dentro de mim e ir para um lugar verdejante e com um ribeiro. Preciso da Natureza, preciso do cheiro a clorofila e do som da água a correr, como a vida, como o tempo.

Não quero ser eu...está escuro aqui. Estou em zona de guerra. Conflito atrás de conflito. Se não é o desemprego é o raio do meu coração que me continua a pregar rasteiras e que se ri descaradamente na minha cara. Decide-te!

Quero deixar este corpo para trás, libertar-me da dor, da frustração, dos ciúmes, das saudades, do que já foi, do que não devia ter sido, do que podia ter sido e não foi, do que nunca poderá ser.

Preciso de férias longe de mim.

7 comentários:

Francisco Castelo Branco disse...

belo texto

Parabens

Afal disse...

Obrigada :)

Dexter disse...

Acima de tudo está mto bem escrito.

:)

Em segundo lugar, precisas é de umas férias...junta uns trocos (desempregada é difícil, eu sie) e vai passar um fim de semana sozinha p pôr as ideias no sítio. Vias ver que sabe bem.

Afal disse...

Obrigada Dexter, a escrita é...para onde canalizo as minhas energias quando preciso. Liberta ;)

Quanto às férias, não me parece que seja muito bom passar mais tempo só comigo que aquele que já tenho passado... Quando tenho muito tempo para pensar, as coisas começam a descambar ainda mais.

Filipa disse...

Maria Filipa tu precisas é de passar uns ricos dias em Bila Real a jabardar pitos e cobilhetes e a mandar calinadas.

:P

mas continuo adorar a tua escrita :) tanto k ate ja me fazia a uma ou duas cartas ahaha :PP

Tali disse...

É incrível como a maioria das coisas que escreves, de uma maneira ou de outra, encaixam-se sempre ao que eu também estou a sentir! Parece que há uma nuvem negra à pairar sobre as nossas cabeças, não sei..
Mas pronto, adoro aquilo que escreves e como escreves! Consigo sentir lá dentro! Estar sozinha nem sempre é a melhor solução mas também ajuda-nos a perceber que precisamos das pessoas e que elas também precisam de nós!

Adoro-te, minha tarada! **********************

Afal disse...

Filipa...cheira-me que a bola está do teu lado do campo ;p

Tali...às vezes acontece. A mim isso acontece quando vou à minha praia, porque geralmente o mar está exactamente como a minha mente, ou mais calmo, ou uma autêntica tempestade. (Não me estragues o disfarce de santa!)

E obrigada às duas (a todos) pelos elogios ***